sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Janela

Já não olho mais pela janela
Para ver o mesmo céu sem estrelas
Desiludir-me com a terra encharcada
E o mesmo muro alto e encardido

Fecho as aspas pesaroso
E passo a olhar só pra dentro
Inundado pela luz falsa
Que cega impiedosa junto ao tempo

Mas ainda assim sei que vive
Reprimida, bem no fundo
A vontade de escancará-la
E saltá-la inocente

Mais uma vez...

3 comentários:

megsimon disse...

Lovely =)

Ninna Abreu disse...

Já disse o quão apaixonada por seus textos e poemas eu sou? ^^

D.Ximenes disse...

Foda. Sem mais.
Acho que traduziu com força um sentimento que eu tenho a muito tempo.
Obrigado :)

Postar um comentário